Ace Attorney Wiki
Advertisement


Judge (Juíz, em inglês) é juíz que não tem seu nome revelado e comanda todas os casos.

Infância[]

Quando criança, o Juíz presumivelmente recebia a mesma mensagem em seu boletim escolar todos os anos: "Tem audição ruim e muitas vezes comete erros como resultado", como é evidente por sua reação a Mia Fey adivinhando a mensagem.

Carreira[]

O juiz presidiu vários julgamentos notáveis ​​em seus muitos anos no tribunal. Este relato começa com o julgamento de Mack Rell no que viria a ser conhecido como o segundo Incidente KG-8, um julgamento que apresentou o juiz ao então promotor novato Miles Edgeworth.

O segundo Incidente KG-8[]

O Juíz em 2012.

Em 2012, o juiz presidiu um julgamento que encerraria algumas épocas e iniciaria outras. Quando Mack Rell foi preso por assassinato, ele alegou ser o Grande Ladrão Yatagarasu. No entanto, quando o promotor Byrne Faraday apresentou provas condenatórias contra ele no tribunal, Rell de repente mudou sua história, acusando Faraday de ser o Yatagarasu e aquele que o havia enviado para cometer o assassinato. Diante desses acontecimentos, o juiz suspendeu o julgamento para dar lugar a um substituto para Faraday: um novo promotor chamado Miles Edgeworth. O juiz então foi para o banheiro. Enquanto estava lá, olhou pela janela, do outro lado do pátio do Tribunal Distrital, para o corredor do 3º andar. Embora ele não tenha visto ninguém, ele ouviu o que parecia ser um tiro, mas prontamente se esqueceu disso.

Quando o juiz voltou ao seu banco para reiniciar o julgamento, Faraday e Rell foram encontrados assassinados. O juiz lembrou-se do que tinha visto no banheiro e acusou o detetive Dick Gumshoe do assassinato, testemunhando sobre o tiro que ouvira. No entanto, Edgeworth examinou o trabalho de vigilância de Gumshoe e determinou que grande parte do testemunho do juiz foi construído com base em vários mal-entendidos de sua parte. Em primeiro lugar, Gumshoe estava, de fato, apenas sentado e comendo em um banco embaixo da janela com Kay Faraday, invisível para o juiz. Edgeworth também descobriu que o som que o juiz ouviu era apenas Kay tentando assustar Gumshoe estourando um balão. Gumshoe acabou sendo inocentado de todas as acusações graças aos esforços de Edgeworth, embora o verdadeiro culpado, que havia usado outro tiro falso para criar um álibi, tenha conseguido escapar.

Assassinato na Universidade[]

Em 2014, o juiz presidiu o segundo caso de Mia Fey como advogada. Ela não aceitava um caso desde um ano atrás, pois o caso a deixou gravemente traumatizada. Desta vez, ela deveria defender o estudante universitário Phoenix Wright, que havia sido acusado de eletrocutar o colega Doug Swallow até a morte, contra o promotor Winston Payne. Dahlia Hawthorne assumiu o posto, e Fey foi capaz de descobrir que Hawthorne estava usando Swallow e seu laboratório de farmacologia para obter um veneno especial. Oito meses antes, Hawthorne havia roubado veneno de Swallow e o usado para colocar um advogado de defesa que a interrogava em coma profundo, carregando o veneno em uma garrafa discreta embutida em seu colar. Enquanto fugia da cena do crime, ela esbarrou em Wright e descartou o colar dando a ele como um "presente". Ela vinha tentando inutilmente obter o colar de Wright e se livrar dele, e ela finalmente tentou envenenar o próprio Wright para recuperar o colar. Ela envenenou sua garrafa de remédio para resfriado Coldkiller X, mas Doug Swallow percebeu que mais veneno havia sido roubado e avisou Wright. Wright se recusou a ouvir seu aviso, mas Hawthorne ouviu e eletrocutou Swallow para silenciá-lo. No tribunal, Fey usou o remédio para resfriado para revelar a trama de Hawthorne. Finalmente exposta, Hawthorne admitiu seus crimes e Wright foi declarado inocente.

Julgamentos de 2016[]

Phoenix Wright retorna ao tribunal[]

O juíz.

Dois anos depois, o juiz viu o retorno de Phoenix Wright ao seu tribunal, desta vez como um advogado de defesa novato enfrentando o promotor Winston Payne. Wright não apenas conseguiu defender com sucesso seu amigo de infância Larry Butz da acusação de assassinato, mas também deduziu quem era o verdadeiro assassino. Apesar de já ter conhecido Wright quando presidiu o próprio julgamento do homem, o juiz não mostrou nenhum sinal de que o reconheceu.

O Assassinato de Mia Fey[]

Logo depois, o juiz supervisionou o julgamento de Maya Fey pelo assassinato de sua irmã mais velha Mia Fey, com Wright mais uma vez atuando como defesa, enquanto Edgeworth processava o caso. Wright quase conseguiu provar a inocência de Maya, mas o julgamento foi adiado por um dia para permitir mais investigações. Enquanto investigava, Wright encontrou o verdadeiro culpado, um homem chamado Redd White, que estava chantageando vários indivíduos de alto perfil. White usou sua influência para acusar Wright do assassinato de Mia, mas isso saiu pela culatra quando Wright provou sua própria inocência no tribunal e a culpa de White.

A morte de uma estrela[]

No mês seguinte, o juiz presidiu o terceiro julgamento de Wright, no qual defendeu o astro de The Steel Samurai: Warrior of Neo Olde Tokyo, Will Powers, acusado do assassinato de seu colega Jack Hammer. Edgeworth processou o caso. O verdadeiro assassino de Hammer acabou sendo revelado como sendo o produtor Dee Vasquez, que havia matado Hammer em legítima defesa.

Advertisement